fbpx

Minimalismo: Tudo o que você precisa saber antes de adotar esta cultura

Mindset: Descubra como funciona a nova psicologia do sucesso
Mindset: Descubra como funciona a nova psicologia do sucesso 4.67/5 (3)
fevereiro 3, 2018
dicas-de-apresentacao
Eventos de Secretariado Executivo: 3 que você não pode perder!
julho 14, 2018

Minimalismo: Tudo o que você precisa saber antes de adotar esta cultura

Minimalismo: Tudo o que você precisa saber antes de adotar esta cultura

Minimalismo: Tudo o que você precisa saber antes de adotar esta cultura

A cada dia, somos obrigados a fazer uma série de escolhas que só servem para ocupar espaço em nossa mente. Que roupa devo escolher? Onde vou almoçar? Uber ou 99? A cada nova escolha que fazemos, a mente fica mais ocupada e coisas realmente importantes podem ficar negligenciadas.

Mas você já deve ter ouvido falar em algum momento na frase “menos é mais”, não é verdade? Pois bem, nunca se falou tanto sobre minimalismo como atualmente.

Existem tendências que nascem, mas morrem com passar do tempo. Minimalismo é uma tendência forte que, na minha opinião, veio para ficar e prosperar a cada dia na vida das pessoas.

Por que penso isso? Porque este é um tipo de tendência que impacta de uma forma muito positiva – porque nos faz estar em constante busca com o essencial.

Todo excesso esconde uma falta

O que é Minimalismo?

Minimalismo: Tudo o que você precisa saber antes de adotar esta cultura

Segundo Wikipedia, a palavra minimalismo se refere a uma série de movimentos artísticos, culturais e científicos que percorreram diversos momentos do século XX e preocuparam-se em fazer uso de poucos elementos fundamentais como base de expressão.

Como você pode ver, o conceito de minimalismo nasce da arte e desde então, vem repercutindo seu efeito em inúmeros outros sentidos.

De acordo com os escritores Joshua Fields Millburn e Ryan Nicodemus, autores do documentário Minimalism: A Documentary About the Important Things (“Minimalismo: um documentário sobre as coisas que importam”, em tradução livre), que retrata a vida de pessoas que vivem apenas com o essencial, o minimalismo é um comportamento que torna pessoas mais importantes que as coisas que elas têm.

Podemos dizer que minimalismo é muito mais do que um estilo de vida ou uma preferência estética. É uma ferramenta que pode ajudar a todos aqueles que estiverem dispostos a se livrar dos excessos em favor de se concentrarem no que é importante para encontrar a felicidade, realização pessoal e, principalmente, liberdade.

Ryan, um ex-publicitário bem-sucedido, mas que chegou ao limite de estresse quando foi escalado para vender celulares para crianças de cinco anos, comenta:

Com menos importância para o material, podemos abrir espaço nas nossas vidas para o que realmente importa.

Ryan chegou a vender 80% das coisas que tinha acumulado – carros de luxo, roupas de marca, um apartamento espaçoso, demitiu-se e criou o blog The Minimalists com o amigo Joshua, ex-empresário que mudou de vida depois da morte da mãe.

Enquanto expressão comportamental da sociedade, o minimalismo é um reflexo de movimentos contraculturais anteriores, como o punk e o hippie, que questionaram a sociedade de consumo e seus excessos.

Marcelo Vinagre Mocarzel

As características do Minimalismo

Minimalismo: Tudo o que você precisa saber antes de adotar esta cultura

Adotar uma característica minimalista não significa se desfazer do excesso dentro de casa, viver em um apartamento pequeno com poucos móveis modernos, não ter televisão, se livrar de todas as roupas e se tornar um “nômade digital” só porque é “cool“.

Se você procura sentido em sua vida, isso dificilmente virá através de coisas…

Mais uma vez: adotar a cultura minimalista vai muito além do que você mostra para as outras pessoas. É um processo. Um processo que começa de dentro.

Existe regras a seguir para se tornar um minimalista?

Não, não existe um passo a passo, uma receita que fará você se livrar de tudo o que é desnecessário da sua vida… Até porque esse processo é muito intrapessoal – muito individual de cada um, ou seja, cabe a cada um saber o que é importante para si mesmo. E esta mudança está diretamente ligada ao que cada um entende como felicidade, com o seu propósito.

A característica do minimalismo está inteiramente relacionada ao significado que as coisas, o ambiente e as pessoas têm para você, para o seu bem-estar, para a sua saúde, para a sua felicidade, para a sua vida.

E para descobrir as “respostas certas” para você, isso exige um processo contínuo de autoconhecimento, autoanálise, autoreflexão e ressignificações constantes. Esse é o caminho para você se conectar, de fato, com a sua essência.

Minimalismo é um hábito.

Eu considero o minimalismo como várias frentes: é uma cultura, uma filosofia de vida, mas acima de tudo, um hábito. Pois é através do hábito que o seu significado se torna cada vez mais consistente, seja por meio de suas atitudes, comportamentos, pensamentos, valores e propósito.

Então não adianta querer adotar uma conduta minimalista se os conceitos não forem colocados em prática, certo?

Minimalismo não é um estilo de vida radical pré-moldado, mas um sistema que pode se adaptar às suas necessidades.

A Lei de Pareto

A lei de Pareto fala do conceito de 80/20 ou seja: Apenas 20% das coisas que você faz são responsáveis por 80% dos seus resultados. 

Isso querendo ou não é a pura verdade e se aplica a praticamente tudo e em todas as ocasiões na vida.

Sabendo que são apenas 20% das suas tarefas que geram 80% dos seus resultados, você deve focar em fazer essas tarefas perfeitamente e deter o seu tempo a elas.

Quando você aplicar a dica da lei de pareto ela em si já vai fazer uma grande diferença na sua lista de tarefas para que você posso focar toda a sua concentração naquilo que vai te dar mais resultados 😉

Minimalismo nos relacionamentos

Minimalismo: Tudo o que você precisa saber antes de adotar esta cultura

Reavalie as pessoas com quem você mantém contato.

Quem são seus amigos, quem são seus colegas?
Em que nível de importância você consegue classificá-los?
Quem lhe faz bem e quem lhe faz mal?
Quais são seus verdadeiros amigos?

Sim, as pessoas ao nosso redor influenciam nossos comportamentos, então, escolha bem quem ficará ao seu lado.

Quase tudo o que trazemos em nossas vidas – bens materiais, ideias, hábitos – devemos estar preparados a nos afastar a qualquer momento. Muitos podem discordar por parecer insensível, mas é exatamente o contrário: nossa preparação para se afastar é a forma mais avançada de cuidar.

Joshua Fields Millburn

Essencialismo e Minimalismo

Minimalismo: Tudo o que você precisa saber antes de adotar esta cultura

Minimalismo: Tudo o que você precisa saber antes de adotar esta cultura

Eu diria que Essencialismo é uma filosofia de vida, seguindo o mesmo sentido do Minimalismo.

Greg Mckeown, autor do termo  e do livro “Essencialismo – A disciplinada busca por menos“, defende que se concentrar apenas no essencial é a chave para obter os melhores resultados no trabalho.

A fórmula é simples: mais produtividade, menos estresse, mais alegria.

O profissional “essencialista”, explica McKeown, é aquele que vê claramente a diferença entre o desnecessário e o indispensável. A teoria soa simples: ao dizer “não” a tarefas irrelevantes, você investe toda a sua energia só naquilo que é essencial. Como resultado, o seu desempenho vai às alturas.

Minimalismo não é uma “competição” sobre quem tem menos coisas. Ao contrário, queremos mais: mais tempo, mais espaço, mais paixão, mais experiências. Limpamos a bagunça do caminho da vida para sermos mais livres.

Ryan Nicodemus

As vantagens em adotar a cultura minimalista

Agora vou listar alguns dos principais benefícios que a cultura minimalista me proporcionou nos últimos anos:

  1. Mais qualidade de vida e menos estresse.
    No hábito de “ter menos”, me possibilitou me preocupar menos, me estressar menos, pagar menos contas, cuidar de menos coisas. Só assim eu consegui mensurar melhor a minha qualidade de vida, focando toda a minha concentração e energia para aquilo que realmente tem significado.
  2. Ter mais tempo e mais produtividade.
    Tendo menos posses, me possibilitou ter menos problemas, menos distrações e mais tempo a ser investido em experiências significativas. Pude tornar o meu tempo mais produtivo.
  3. Ser mais criativo.
    O minimalismo é também um bom amigo da criatividade, à medida que clareia a mente e direciona o foco para novas ideias. Neste artigo, eu conto tudo o que você precisa saber para ser mais criativo.
  4. Tornar a sociedade e o mundo mais sustentável.
    Quando o consumismo se torna qualitativo (exclui a quantidade e foca na qualidade dos produtos), naturalmente você consome menos, e menos lixo se produz. Consumir de forma compulsiva causa grandes estragos ao meio ambiente, porque polui o ecossistema, agrava o problema dos aterros de lixo. O planeta, acima de tudo, agradece!
  5. Viver em espaços cada vez menores.
    Isso me ajudou a perceber uma coisa muito interessante: Quanto menor o espaço que você vive, mais conectado você fica com o ambiente, e naturalmente, com a sua essência.
  6. Viver com liberdade financeira
    Bom, nem preciso dizer que o minimalismo contribuiu (e contribui) muito com a minha saúde financeira né? Menos material significa menos dívida, portanto, mais dinheiro.
  7. Menos relacionamentos tóxicos e mais relacionamentos significativos.
    No começo você vai ficar “tentado” a querer comprar aquele sapato da moda quando sair com a sua colega que sempre costumou ser “consumista”. Isso é normal… mas aqui vai um segredo:Esse foi só um exemplo simples, mas quando ampliamos a nossa percepção das coisas ao redor e conectamos com a nossa essência, você vai ver que muitos dos relacionamentos que você cultivava não contribuem para a sua evolução.E uma vez que você se torna mais seletiva, no sentido de investir em relacionamentos melhores e mais significativos, você não se envolve mais em relacionamentos tóxicos.
  8. Você se torna referência de bons exemplos
    Suas atitudes farão com que você se torne uma referência de bons exemplos para as pessoas ao seu redor. Você não só se tornará uma referência, como uma inspiração para que elas sigam o seus exemplos.Nós precisamos ser a mudança que queremos ver no mundo. E este é o caminho certo de fazê-lo.
  9. Libertar o velho para dar espaço ao novo.
    Às vezes é natural sentirmos necessidade de guardar coisas como uma forma de lembrança do passado – coisas que não importam mais e que muitas vezes estão ligadas a memórias infelizes. Isso é autosabotagem.Para iniciarmos uma mudança e evoluirmos neste processo, é preciso libertar o velho e dar espaço ao novo. Desapegue sem medo.
  10. Mais felicidade, mais significado, mais propósito, mais liberdade, mais essência.
    Quando você para avaliar os benefícios de todos os pontos da sua vida, como era e como é, você se sentirá mais feliz. Uma vez feliz, você sente que a sua vida tem mais significado, você age com propósito, com mais liberdade, que ao final das contas, tudo se conecta com a sua verdadeira essência.

Eu gostaria que todos pudessem ficar ricos, famosos e ter tudo o que sempre sonharam para que possam ver que essa não é a resposta para felicidade.

Jim Carrey

Resumindo…

Minimalismo: Tudo o que você precisa saber antes de adotar esta cultura

Depois de todo esse conteúdo, aqui vai a lista dos principais aprendizados e insights sobre o Minimalismo:

  • Comprar menos é comprar melhor.
  • Consumir não é o problema, mas consumir de forma compulsiva é.
  • Estabeleça prioridades na hora de consumir.
  • Pense na qualidade em vez de quantidade.
  • Há sempre algo (qualquer coisa que você queira preencher neste espaço) que pode ser eliminado.
  • Desapego = Liberdade.
  • Liberte o velho para dar espaço ao novo.
  • Dar espaço ao novo significa abrir espaço para coisas que realmente importam na sua vida, que realmente tem valor, e descartar todo o resto fora.
  • Foque em experiências significativas e construtivas.
  • Pessoas e experiências são mais importantes que coisas.
  • Minimalismo é sobre dar significado ao que possuímos.
  • Minimalismo é reduzir para ter mais; é fazer escolhas conscientes, ao invés de ser levado a uma decisão por fatores externos ou marketing.
  • Minimalismo é conectar-se com a sua essência.
  • Minimalismo é sobre abundância, e não escassez.
  • Minimalismo é achar aqueles 20% que faz todo o resto dos 80% acontecer.

Série Minimalismo: um documentário sobre coisas importantes

Recomendações de leitura

Recomendação de curso: O poder do foco!

Uma ótima dica para te ajudar no processo da cultura minimalista, é fazer o curso “O Poder do Foco” de Paulo Vieira.

Clique aqui e saiba mais

Você já conhecia a filosofia do Minimalismo? Como foi a prática na minha vida? Compartilha aqui comigo 😉

Comentários no Facebook

O que você achou deste artigo?