O Secretariado Moderno: Uma profissão de competências diversas

O Secretariado Moderno: Uma profissão de competências diversas

competências secretariais
Adaptabilidade das competências secretariais
setembro 28, 2015
Empreendedorismo secretarial
setembro 28, 2015

O Secretariado Moderno: Uma profissão de competências diversas

O Secretariado Moderno: Uma profissão de competências diversas

Por Bianca Fagundes

Ao falar em “competência”, compreendem-se também as habilidades que o profissional de secretariado deve desenvolver para assumir um bom lugar no mercado moderno, exercendo sua função de forma destaque e alcançando notoriedade na instituição em que atua.
Pela proximidade entre “competência” e “habilidade”, tomemos como premissa o que expõe Perrenoud (1999): “A competência não é o uso estático de regrinhas aprendidas, mas uma capacidade de lançar mão dos mais variados recursos, de forma criativa e inovadora no momento e do modo necessário”.
Assim, a capacidade estaria composta por várias habilidades – sendo, as habilidades, capacidades técnicas para realizar tarefas. Desta forma, o secretariado moderno precisa munir-se do aspecto técnico e desenvolver competências em variadas áreas, incluindo aquelas que não estão diretamente relacionas às atividades de sua
incumbência primeira.
Ao passo que a profissão evolui, o perfil do profissional se expande e este passa a abranger vários setores dentro da mesma empresa, como um elo entre os departamentos e o executivo; contribuindo com a celeridade de processos e na busca por resultados.
Por conseguinte, o mercado mira, cada vez mais, em profissionais que tenham desde uma boa oratória, até aptidão para trabalhos práticos; desde conhecimento de línguas estrangeiras, até base de contabilidade; desde desenvoltura em público, até know-how para deliberar assuntos adversos.
Ao apontar “competência” como caminho para “valorizar e dignificar a profissão de secretária”, Helena Montezuma, em seu livro consagrado “Manual da secretária 1 Licenciada em Letras Português/Espanhol, especialista em Revisão de Texto, cerimonialista, estudante de Linguística, graduanda em Secretariado Executivo e formanda de MBA em Assessoria Executiva. biancafagundes010@gmail.com moderna” (p. 20), pontua os requisitos para o exercício da profissão e expõe a amplitude de competências que o profissional deve atingir, já em meados dos anos 70:
“(…) deverá saber emitir, identificar e verificar cheques e outros documentos comerciais e bancários, tratar com pessoas de todas as classes sociais, conduzirse bem num jantar formal ou menos cerimonioso, receber viajantes, organizar recepções, conhecer todas as regras de etiqueta, escolher e arranjar flores, encontrar a fórmula exata para redigir, em nome do chefe, um cartão de boasvindas ou de despedidas”.
Buscar, em suas experiências próprias (de vida em geral ou no exercício em outros ramos profissionais), pormenores que possam ser aprofundados, aprimorados e inseridos na rotina de trabalho é um bom caminho para criar um perfil diferenciado como profissional de secretariado. O assessor que demonstra – além de suas qualificações acadêmicas e características pessoais – versatilidade em seu trabalho, que não se limita
ao uso de técnicas padronizadas e que busca inovação a partir de seu leque de competências diversas, consegue ir além das expectativas da empresa e do executivo para o qual presta assessoria, apresentando um desempenho singular.
Sob o mesmo ponto de vista, Carlos Martins2, em seu artigo “Habilidades e Competências”, arremata, elucidando competência como a soma de talento e habilidade – “Essa associação conduz a resultados superiores aos obtidos por pessoas que possuem apenas o talento ou habilidade separadamente”. Isto é, o profissional carece incorporar
traços, características e habilidades natas às técnicas para fomentar o sucesso de sua carreira.
Nesse sentido, especializar-se e desenvolver competências nos campos que circundam a profissão é o futuro para os que buscam êxito na função de secretariado executivo; tornando-se, assim, um assessor completo que funcionará como um agente independente, consciente e versado dentro da empresa; e, por fim, nunca esquecer-se de que “there’s always room for improvement”3.
2 Consultor, Publicitário, com formação em Arquitetura, Urbanismo e cursos de extensão em Desenho
Industrial, Artes Plásticas, Cinema, Sociologia, Propaganda e Marketing. Ex-professor da PUC-RJ, colabora
frequentemente com trabalhos acadêmicos e entrevistas para jornalistas. É autor do e-book “Cria ação em
marketing”, destinado a empresários e profissionais.
3 “Há sempre margem para melhorias. Ralph Marston.”
REFERÊNCIAS
MONTEZUMA, Helena. Manual da secretária moderna. Rio de Janeiro, Ediouro, 1970?
PERRENOUD, Ph. Construir as competências desde a escola. Porto Alegre, Artmed, 1999
http://www.carlosmartins.com.br/habilidades.htm (acessado em 27/09/2015 às 17h4

 

*Escrito por Bianca Fagundes*
Email: biancafagundes010@gmail.com

EnglishPortugueseSpanish